Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIAS.
Eu fico boiando dentro dessa banheira com água quente.
Nós dois cheios até a borda.
Imerso, apenas com o rosto de fora.
Mas será que eu todo é que não ando por fora?
Eu acho.
Aliás, eu perco. Eu sempre perco.
Eu me azedo com o que escuto, eu me azedo com o que vejo.
Eu não consigo conseguir e divago divagar sobre ela que continua bonita demais
E isso é perigoso demais.




Juan Barto

Foto: Juan Barto