Funcionário do mês

[ CRÔNICAS, CONTOS, POESIA CONCRETA ] [ ILUSTRAÇÕES ] [ FOTOGRAFIAS ] [ VÍDEOS ]
Eu ando muito porque morro de preguiça de morrer parado, assim tão “novinho em folha”, tão “brinquedo na caixa”.
Tão “roupa nova" que ninguém usa por que se não suja!
Não é medo de morrer, é pena de não poder viver mais.
Como uma carta que você precisa muito escrever, mas ai o papel acaba e você com tanto assunto entalado na garganta da mão. . .
Deixar os dias pra esse povo que não sabe usar!
Tenho carinho por livros.
Livros são meus animais racionais de estimação.
O som mais lindo é a palavra certa dita pela boca certa nas horas em que tudo parece estar errado.
E a cozinha que sabe de todas as conversas e todas as tragédias da casa?!
Presencia todos os fatos ora feliz, ora chocada.
Mas sempre discretíssima, nunca fala nada.
No dia que as fossas se abriram eu me agarrei nas pernas das mesas, das cadeiras, das pessoas, dos meus óculos . . .
E quantos vermes não se escondem por trás das mais lindas maçãs?
É como aquilo que você gosta sabendo que te faz mal, que te torna mau.



Juan Barto