Funcionário do mês

[ CRÔNICAS, CONTOS, POESIA CONCRETA ] [ ILUSTRAÇÕES ] [ FOTOGRAFIAS ] [ VÍDEOS ]
Meu coração murcho como uma passa, pequeno como uma noz.
Tá faltando fôlego, tá faltando voz...
Tenho apenas a revolta de uma revolta sem sentido e um choro que a principio não sai, mas vai.
É outra vez outra vez:
[Pensei que com você fosse dar certo.
Impossível, com essa sua pessoa errada.
Não percebi a tempo.
Ih, só lamento.
Isolamento.]
Queria de verdade ser aquele que vai te inspirar um dia a mudar.
E sairia nos jornais em letras garrafais:“DESABROCHOU!”
Você é a borboleta me escapando pela janela que nem mesmo estava aberta, enquanto eu era a mariposa contornando cegamente o seu poste.
Tudo de repente parece ser tão inalcançável que me sinto um hipócrita em desejar a alguém um “boa sorte!”



Juan Barto