Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIAS.
Eu (assim como as cartas de baralho) levo a sério o 
"diga-me com quem andas que eu te direi quem és".
Há muitas sugestões de esquinas e alternativas numa única reta,
mas se eu pudesse ir aonde realmente me interessa...
O que de verdade me convém é teu convés...sua atmosfera.



Juan Barto
Se não sou eu pra vigiar as sementes que plantei na tua cesta
elas já teriam morrido de saudade ou de tédio, com certeza.
Se minha alma anda andando onde eu acho que ela esteja...
Talvez um dia desses a gente estranhamente "se veja".


Juan Barto
Desculpar é como parir, dói, mas sai.
Pedir desculpas é parto cesária, tem que cortar e arrancar lá de dentro.
Eu já fui a cartola do mágico; já abriguei coisas fantásticas.
Hoje sou o saco do velho do saco; carrego apenas histórias.
Orgulho é um conselheiro forte, porém burro... porém forte.
Nos toma pelas mãos, entorta nossos braços pra trás e viramos seus fantoches.
Os previsíveis morrem pela boca, os presunçosos de fome.
Todos no fim ruminando coisas caóticas e cáusticas.



Juan Barto
Achar as pessoas boas é fácil, basta seguir as pessoas ruins e esperar que algumas boas caiam de seus bolsos.
Não deixe a maré chegar até o seu pescoço.
O que é bonito também mata.
O que é bom também mata.
Tire essa areia dos olhos, ela não lhe fará falta.
Que os anos não surtam efeito sobre nós.
Que nós não surtemos.
Que o nosso "nós" esteja sempre na ponta da língua, na ponta dos dedos.
Que o nosso pós seja cheio de prós.
Não me acorde
eu to sonhando com a sorte.




Juan Barto
Varal é desnecessário, pois a nossa felicidade a gente pendura é na porta da frente.




Juan Barto