Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
A fumaça no chalé
deve ser café
na louça do bule da moça do balé.



juan barto

AQUELE ABRAÇO!



Flamengo 5 x 0 Coritiba/ Maracanã/ Brasileirão 2008

'BARRENTO'

Foto: Juan Barto
Sua língua é tão grande
que serviria como a gravata de uma montanha
ou como o cadarço do tênis de um gigante.
Daria pra laçar gado, daria pra laçar um elefante.
Sua vida é tão infame
que não há barco a motor ou gás de refrigerante
que te jogue pela estrada a fora
que te lance para o alto e avante.



Juan Barto
Acho que todos nós somos meio como João e Maria, deixando trilhas de migalhas de pão pra trás, na esperança de saber como vir embora. Mas dentro da floresta, você pertencer as árvores.
'Era uma vez . . . ' é uma espécie de 'amém', só que no começo da reza.

----------------------------------------------------------------------

Tudo era alguma coisa até deixar de ser.
Há coisas que nascem podres, mas nada nasce ôco.



Juan Barto
Não acredito na finitude de umas coisas e não entendo a finalidade de outras.
Não coloco pedras sobre as histórias, e sim uma tampa de isopor, apenas pra evitar que se estraguem, que atraiam insetos ou o olhar de curiosos.
Isopor mantém o que é frio frio e o que é quente quente.
Aprendi que se você convida o lixo pra entrar na sua casa, ele é que vai te pôr pra fora dentro de um saco no fim do jantar.
Aprendi a lavar minha roupa suja com tinta de caneta.




Juan Barto
Ela bateu a porta do carro com a maior força que conseguiu reunir num só braço.
Caminhou  rápido, porém sem correr, pois correr depois de uma discussão era coisa de criança, e ela já tinha dezessete anos!
À passos apressados e profundos, chegou até a porta da frente da sua casa.  Punhos cerrados de raiva.
Ele, de dentro do carro, assistia a esse espetáculo de sons, gestos e vibrações que é o chilique de uma mulher, e olhava orgulhoso para sua própria mão direita.
Seu dedo indicador e o do lado, o maior (e mais audacioso) de todos, ainda frescos, grudentos.
Mais tarde, ainda na mesma noite, ela em seu habitual banho quente antes de dormir, sorriu, e riu do seu acesso, riu como foi boba, pois apesar de ter resistido as insistentes tentativas masturbatórias do namorado, ao ceder, viu que aquilo era bom
'Nossa, como era bom!'
Apenas ficou com vergonha quando se percebeu gosmenta e se defendeu atacando, mas pra ser sincera, mal podia esperar pra ver ate onde eles iriam no dia seguinte.
Ele, naquele mesmo momento, via tevê, mas sem prestar atenção.
'Nossa, como era bom!'
Mal podia esperar pra ver ate onde eles iriam no dia seguinte.




Juan Barto
Que caia então tudo pra cima, esmagando os anjos contra os astros.
Não há sentido em reprimir um pé que clama por dançar.
Não adianta, nem jogando uma mão de cal no passado.

------------------------------------------------------------------------------

Que nunca haja nem azul marinho tão fundo, nem azul celeste tão largo que possa nos separar.
Colares por baixo dos cachecóis e muitas blusas a mais, pra aguentar os dias frios, frígidos e fingidos.

------------------------------------------------------------------------------

Pare de cobiçar as minhas verdades, pare de reproduzir as minhas mentiras.
Pare de espiar por cima de meu ombro, vai engordurar minha nuca e manchar minha camisa.

------------------------------------------------------------------------------
Rochedos e penhascos dão uma ideia errada sobre si mesmo. Eles não são assustadores, ele só são (es)calados.
E esse violão banguela? Triste como um cachorro de três pernas.
Se hoje eu me tremo, é porque são muitas vidas acumuladas nesse corpo tão pequeno.




Juan Barto.
Feliz dia das crianças, futuros 'nós', continuem dançando até quando os quadris caquéticos e os frágeis joelhos não mais impressionarem pela agilidade no rebolado, mas sim pela harmonia do gingado.




Juan Barto


Por que as pessoas interessantes que eu vejo pela janela do meu ônibus não estão dentro do meu ônibus?
Que força é essa que não me deixa conhecer quem eu não conheço e não me ajuda a entender quem eu já conheço?
A vida seria uma imensa loja de inconveniências aberta 24 horas?
Era o que eu temia, marcar comigo mesmo de me encontrar e não aparecer.



Juan Barto
Foto; Juan  Barto



Eu vejo que o meu caderninho está ficando sem folhas.
Eu vejo que o meu peixinho não faz mais tantas bolhas.
Eu vejo que a minha árvore já não tem tantas folhas.
Eu vejo que o meu plástico está quase sem bolhas.




Juan Barto

DEZ SEGUNDOS

O rosto dele estava quente, estava muito quente, daria pra passar um café com o seu suor.
Ele podia sentir seu sangue correndo mais grosso pela sua testa e bochechas.
Não imaginava que a vida fosse colocar a perna na frente pra ele tropeçar.
Dez segundos atrás, ainda não havia dobrado a esquina da casa da mulher que ele amava secretamente, dez segundos atrás ainda não a tinha visto debruçada no portão de sua casa, sorridente e, para sua infelicidade, acompanhada.
Até dez segundos atrás ele era uma pessoa boa, a partir de agora não podia garantir mais muita coisa.
Petrificado no meio da calçada, olhou de esguelha para o poste à sua direita e se identificou.
O que não daria agora por uma bombinha ninja, pra desaparecer dali numa cortina de fumaça o mais rápido possível.
Girou nos calcanhares e começou a traçar, cabisbaixo, o caminho de volta pra casa.
O homem que mal chegou a cruzar aquela esquina, e que agora rebobinava seu caminho melancolicamente, não era nem de longe, nem no cheiro, nem fodendo o mesmo de dez segundos atrás.



Juan Barto

PENSANDO ALTO/ FALANDO SOZINHO

Tão carente e ao mesmo tempo tão inocente e egoísta quanto um auto beijo apaixonado no próprio braço.
[Motorista, não me deixe passar do ponto, senão eu asso!]
O céu é azul porque Deus toda semana bota cloro, e o mar é salgado porque se não, há muito tempo já o teriam bebido.
"Saudade" tem hiato pra na hora do divórcio, o "u" não ficar tão sozinho.
Sobre aquilo que não é meu, sinto um ciúme carnívoro.





Juan Barto
Não estamos na mesma margem, mas viemos da mesma vagem.
Estendemos nossas toalhas na grama e deitamos na grama, não na toalha.Vai entender...
Respeito é como um aplauso em silêncio.
Como pode um espirito velho ser sábio, porém crédulo?





Juan B.
Foto: Juan Barto

RECHEIO

Antes do dizer tem que haver o pensar.
Depois do viver tem que haver o sonhar.
Até o pior maldizer virou açúcar ao saber: ‘Nasceu o bem-te-vi!’: Você!
Você é o meu chalé cheirando a chocolate quente.
[Eu sinto que você sabe. Eu sei que você sente!]
Você é o meu dia feliz começando às cinco da tarde.
[Eu sei que você sente! Eu sinto que você sabe!]
Você é minha casa na praia, chuvosa como eu gosto.
Você é o meu violão acústico, você é o meu chuveiro elétrico.
Haveremos de nos ver, haveremos de nos ver sim e nada de só no fim.
Vira-se a ampulheta assim mesmo na malandragem.
E nada de saudade feia, nada de saudade.





Juan Barto

Saúde é uma das poucas coisas que não se pode roubar.
Riqueza e miséria são antônimos que agem da mesma forma: Dominam e fulminam da maneira mais porca.
Boa medida não resseca e nem sufoca.
Boa pedida não vem crua e nem com crosta.
Boas idéias contam com a sorte
Boas intenções contam com a desatenção do azar.
Nas riscas dos azulejos, nas fendas das janelas e nas teias dos ralos, é nas juntas que se acumulam as impurezas e a pele morta, por isso estalo os dedos a cada meia hora, pra dispersar energia saturada.

---------------------------------------------------------------------------

O Amor entrou e entranhou na minha vida como um cheiro fumegante de café, que adentra ambientes inteiros e interessantes.
Céu verde oliva...

----------------------------------------------------------------------------

Quando você cair em "si" e descobrir que o passar do tempo "mi" inocentou, não vai ter "ré" que me traga de volta.
Chova ou ''fá''ça ''sol''.
Sem mágoa nem ''dó', apenas sai pra ''lá''!




Juan Barto
Tem pessoas que a gente gostaria de ser como elas.
Tem pessoas que a gente gostaria que fossem como nós.
Viver do passado é se esconder embaixo de um cobertor que não existe mais, com medo de monstros que também não existem mais.

----------------------------------------------------------------

Eu sou a urtiga promíscua que queima seu juízo entupido de algodão.
Eu sou a vozinha na sua cabeça que sussurra entre cada refeição: "Por que não?"
Eu sou o trapezista maneta.
Eu tomo sorvete de garfo e sopa com a mão.
Escrever é uma manifestação altruísta ou é a mais pura prepotência disfarçada de ficção?
Eu, já acho que é meramente um ralo.
Eu sou o ursinho de pelúcia encalhado na máquina, junto com tantos outros ursinhos à espera da garra que virá dos céus pra nos tirar desse aperto.
Pois escute essa...
Deus não tem mais moedas.



Juan Barto