Funcionário do mês

[ CRÔNICAS, CONTOS, POESIA CONCRETA ] [ ILUSTRAÇÕES ] [ FOTOGRAFIAS ] [ VÍDEOS ]
É que quem vive com a constância do pouco, quando acontece o eclipse raro do muito tudo dura o tempo de um cantar de parabéns, quando a gente vê, já é aniversário de outra pessoa, já tem palmas na casa ao lado e o que restou da nossa festa foi fumaça de vela, guaraná quente, fotos com dentes, algumas presenças e alguns presentes.
Numa época em que sorrir é artigo de luxo, item de colecionador, tempos onde a alegria anda tão racionada e racionalizada, me vem você e me traz caixas e mais caixas!



Juan Barto