Funcionário do mês

[ CRÔNICAS, CONTOS, POESIA CONCRETA ] [ ILUSTRAÇÕES ] [ FOTOGRAFIAS ] [ VÍDEOS ]
Hoje eu acordei não raivoso, não travoso, não amargo, não azedo como todo dia.
Dei beijo nas bocas das canecas e bom dia para as cadeiras da cozinha.
Peguei um pensamento que tinha da moça ruiva bonita
e pus embaixo da camisa.
Me agachei, abraçando os meus joelhos como se fosse ela.
Ignorei o chiado da chaleira e dormi dessa maneira, parecendo uma torneira.
Aquecendo meu carinho platônico como quem choca um ovo.
E sorria enquanto o fazia.



Juan Barto