Funcionário do mês

[ CRÔNICAS, CONTOS, POESIA CONCRETA ] [ ILUSTRAÇÕES ] [ FOTOGRAFIAS ] [ VÍDEOS ]

DENTE DE TUBARÃO

Envelhecer é ir perdendo a necessidade de se perceber notado, mas nunca a sensibilidade de se sentir reconhecido.
A gente vai até onde dá, vive como pode, ama como deixam.
A gente só controla o que tem botões ou fios, o resto é loteria.
Envelhecer é perceber que é possível criar constantemente novos costumes.
Envelhecer é perceber que só quem perde é livre pra experimentar uma nova entrada triunfal, uma nova frase de efeito, um novo perfume.
Envelhecer é perceber que quem ganha vive engessado e acaba indo morar dentro do troféu, temendo que o tomem.
Envelhecer é perceber que quem vence só enxerga a vitória, ao passo que quem perde observa como ganhar.

----------------------------------------------------------------------

Sua última página de vida foi em casa. A luz âmbar que pendia do teto parecia uma manga florescente. Ele tocava violão para a mobília, platéia fiel há anos.
Já era meia madrugada e tudo cheirava a conforto.
Seu violão parceiro até o fim. Um nos braços do outro.
Um homem tem que ecoar pra sempre.
Preencher mentes e ambientes
como um acorde bem dado.




Juan Barto
Nossos demônios escapam o tempo todo da profundezas dos nossos infernos astrais, seja pela boca, seja pelos dedos.



Juan Barto


Nem tudo o que se quer é querido.
Nem tudo o que se tem é temido.
Nem tudo que está é estalido.
Nem tudo que se está sem é sentido.
Nem tudo o que se fala é falido.
Nem todo amor é amido.
Nem todo sem é sentido.



Juan Barto.