Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Ela tem as mãos macias e mornas de quem ordenha sonhos.
Ele tem as mãos grossas de quem desencarde planos  esfregando e torcendo.
Ela tem ouvido mais música do que conselho.
Ele caminha rápido, justamente pra desacelerar por dentro. Até a ansiedade escorrer pelas suas pernas como um suor venenoso, como uma menstruação transparente.
Ela prova cheiros com a ponta da língua e gostos com a ponta do coração.
Ele a abre e a lambe, como uma bolacha recheada.



Juan Barto