Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Date: Mon, 11 Mar 2011 11:42:06
From: alissongirl@rocketmail.com
Subject: Espero que esse ainda seja o seu e-mail!
To: dereza_terezacomd@hotmail.com


-----------------------------------------------------
er, oi?

Essa semana eu estava no parque alimentando os pombos como de costume enquanto pensava na vida (nas vidas) quando um garotinho veio e sentou-se na borda daquela fonte desativada. Ele me olhou por um tempo até que perguntou: "Esses pombos são seus?".
Eu sorri e disse que não. Ele fitou por um instante as folhas secas e o lixo amontoados dentro da fonte, olhou para os pombos que comiam os farelos pelo chão, olhou de volta pra mim e disse como se tivesse finalmente chegado a uma conclusão: "Você é legal!”.
Eu não esperava por aquele veredicto e tive que perguntar. "Por quê?" e ele respondeu sério como são as crianças quando estão falando sério:
"Porque você não está tentando comê-los, e sim alimentá-los. E eles nem são seus!". Disse isso e saiu correndo atrás de uma bola vermelha que passou quicando por nós espantando todos os pombos, fazendo aquele barulho assustador de revoada.
Esta noite sonhei que eu era um balão verde flutuando à meia altura por uma calçada.
Na virada de uma esquina eu cruzava o caminho de um cara e ele tinha sete anos de felicidade. Uma espécie de gato preto, só que ao contrário.
Sabe quando um relógio quebra, mas por puro costume você continua olhando as horas nele várias e várias vezes durante o dia?
É assim que me sinto em relação a nós duas.
Embora o relógio esteja parado, mudo, escuro, as horas continuam.
Passam por trás dele.
(...)

Beijos, Alisson.


-------------------------------------------------------------------


Juan Barto
A cidade a noite, com suas luzes que piscam e suas setas brilhosas, me faz imaginar que estou num imenso pinball.
Noite essa, que passou voando veloz do lado de fora da janela do carro, como um cavalo de corridas fantasma.
Encaçapo bolas de neve com tacadas, afastando seu gelo pra longe de mim, para as profundezas da mesa, mas nada se compara ao prazer que eu sinto em ouvir o 'CLAC!' das reais esferas da sinuca se chocando com força.




Juan Barto



Homem  menstruado não sente cólicas, só cólera.
O sangue sai é do olho.
Segue confiante de que o agir gira.



Juan Barto
Hoje vi um gato sendo atropelado por um carro.
Pensei como é paradoxal, num dia a gente é o carro, no outro a gente é o gato.
Imediatamente mergulhei nesse mangue preto, nesse pântano viscoso que é a memoria, e lembrei do cavalo do filme "História sem fim".
Se eu tivesse me apressado, teria salvo aquele gato.
Isso teria sido bom pra ele, e mais ainda pra mim.

----------------------------------------------------------------

Ah, como eu queria ser a fada festeira mais dançante e mais doceira.
Mas as festas são tão longe, e eu não tenho dinheiro pra comprar nem asas, nem trenó  e nem vassoura.

----------------------------------------------------------------

Ela é o pedaço de carne morna mais lindo e amável de todo esse pasto chamado 'mundo'.
Queria pernoitar dentro de suas calças, acampar na sua vida, entrelaçar nossos dedos e 'estrelaçar' nossos planos.



Juan Barto
Você rondando na minha cabeça arrastando esses seus chinelos.... não me deixando em paz com minha paz.



Juan Barto
Quero ser o seu colar
e colar no calor do seu colo.
Caro como um carinho de brilhantes e contrastes.



Juan Barto
-Você estava falando com seu piercing??
-Er..estava. Por que?
-É particular ou eu também posso ouvir?




Juan Barto



Viver é ir acumulando ausências.
Cadeiras a menos na mesa, livros a menos na estante.




Juan Barto



---------------------------
Julho de 2008.

Locadora de DVD do interior. Fim de tarde.
Uma moça triste sentada num canto do balcão assiste' House' numa tv afixada no canto.
Um rapaz chega e pergunta se tem a 9ª temporada de 'Friends'. Ela vai ate o fundo da loja e volta com a a caixinha nas mãos. Enquanto ela preenche a ficha ele olha pra ela.
Embora ele não morasse na cidade, sempre que estava de férias na casa da mãe alugava filmes pra distrair o tédio.
Assim como em todas as outras vezes não trocaram uma palavra, mas ele atentou pra um fato: Ela nunca perguntou seu nome, mas sabia, pois sempre que ele chegava com os filmes escolhidos, ela puxava o bloquinho e o escrevia com letra desenhada.
Ele sempre saia com o seguinte pensamento:
"Por que ela tem que ser tão profissional? Não me sinto a vontade de chamar pra sair.''

------------------------
Janeiro de 2009.

Locadora de DVD do interior. Noite.
A mesma moça no balcão lendo uma revista. Seus cabelos ainda molhados pingavam na revista e ela enxugava pressionando o papel com a ponta do indicador.
Dois rapazes, o já conhecido mais um amigo, entram. O primeiro se aproxima e põe um DVD sobre o balcão, o outro fica perambulando pela loja na sessão de ficção. A moça se levanta em silêncio e faz todo aquele procedimento rotineiro de devolução. Puxa a fichinha de dentro da capinha, rabisca alguma coisa, retira o DVD, olha se tá arranhado, repõe, guarda embaixo do balcão.
-"Dá dezesseis reais, porque você atrasou alguns dias."
O rapaz põe as mãos nos bolsos da bermuda e as abre sobre o balcão deixando cair com barulho várias, várias, várias moedas de diferentes valores.
A moça olha pra ele admirada. O amigo que estava olhando uns dvds de shows de rock cai na gargalhada. O do balcão sorri maroto.
-"Você acreditaria se eu dissesse que sou pirata?
A moça ri da cena inusitada. Fica vermelha. Mas não olha pra ele. Ela é tímida.
-"Ok, na verdade, minha mãe viajou e não me deixou dinheiro. Por isso demorei a entregar. Tive que assaltar os cofrinhos dos meus priminhos indefesos, mas tá tudo ai!"
Ela sorri e balança a cabeça como quem não acredita no que está acontecendo, sempre olhando pro balcão coalhado de moedinhas.
-"Vai levar um tempo pra contar! " - Ela diz sorrindo.
O amigo da prateleira ainda diz:
"Ele assaltou um cego na esquina e dois mendigos no caminho da casa dele pra cá!"
Eles riem.
Ela vai contando em voz baixa e fazendo pequenos montinhos.
-"Eita, tem até moeda de cinco centavos!"
Ele assovia dissimuladamente. Ela sorri e balança a cabeça como quem diz "Sei não viu!"
-"Tá tudo aqui!"
Ele vibra despojadamente e ainda diz "Prometo que não faço mais!"
Eles saem.
------------------------
Julho de 2009.

 Locadora de DVD do interior. Noite.
Chuva e calor. O rapaz vai alugar mais um filme, mas o computador fodeu com o sistema de cadastros e apagou tudo.
A segunda balconista tentando preencher novamente o cadastro pergunta "Nome?", e a mesma moça de sempre que estava perto diz de pronto: "Pode deixar, eu conheço ele".
Ele se assusta, mas um susto bom.
Saiu de lá se sentindo bem. Se ela ao menos sonhasse que ele adicionou seu perfil do orkut em "listas/paqueras" a mais de um ano...
------------------------
Setembro de 2009.

Apartamento na capital. Duas da tarde de um dia quente e confuso.
Toca o celular do 'alugador de DVDS' e ele atende
-Oi!
-Ei, sou eu.(voz pesarosa do amigo. Mal sinal) Se liga daquela menina da locadora, a loirinha?
O ser humano consegue detectar coisas ruins apenas na introdução do assunto.Incrível.
-Sei. Que foi?
-"Morreu ontem. Acidente de carro...
(...)



THE END
A gente nunca sabe quando estará indo pra algum lugar e alguma coisa não nos deixará chegar ou voltar.
A coisa mais esquisita do mundo todo é você imaginar morta uma pessoa que você gosta.
Pessoas que até ontem de manhã limpavam a terra do chinelo, tão vaidosas, tão bonitas, e hoje recheiam um buraco . . .  e tudo ao redor é terra.
Uma porção de terra cercada de água por todos os lados é uma ilha.
Uma porção de sonhos cercada de terra por todos os lados é uma pena.



Juan Barto