Funcionário do mês

[ CRÔNICAS, CONTOS, POESIA CONCRETA ] [ ILUSTRAÇÕES ] [ FOTOGRAFIAS ] [ VÍDEOS ]
Date: Mon, 11 Mar 2013 11:58:33
From: dereza_comd@hotmail.com
Subject: quem diria!
To: alissongirl@rocketmail.com


---------------------------------------------------------------------


Querida Alisson




Não esperava mesmo que um dia você, de alguma maneira, ainda fosse querer se comunicar comigo.
De verdade! Assim como aposto que você não esperava nunca que eu fosse lhe responder.
Surpresas 1 x 1.
Mas fiquei feliz!
Foi bom você ter falado sobre sonhos. Por esses dias, sonhei que eu era uma dessas pessoas que ficam na ponta das pistas de pouso dos aviões com aquelas lanternas em formato de picolé para ajudá-los a aterrissar e veja só, você era o avião! 
Vinha vindo de braços abertos pelo céu, fazendo 'VUUUUM' com a boca e apesar do olhar blasé e impassível que os aviões costumam ter, você mantinha um ar de desorientada. E eu feito uma louca pulando, agitando minhas lanterninhas laranjas como se fossem duas chuvinhas de São João e gritando
"AQUI! AQUI SUA IDIOTA! É POR AQUI!"
Mas o barulho das turbinas era enorme e você passou direto por mim, me deixando no vácuo.
Sonho péssimo. 
Tenho certeza que acordaria completamente suada se não fosse essa minha mania triste de quase nunca beber água.
Mudando de assunto...
Uma vez vi um homem num bar que parecia muito com o Mark Ruffalo.
Outro dia, voltando pra casa no ônibus, subiu uma moça i-g-u-a-l a Adriana Calcanhoto.
Essa semana eu estava na sala de espera do dentista quando entrou uma moça que lembrava um pouco você.
Desses três ‘covers’ essa última foi a que mais me deu vontade de ir falar, de pedir autógrafo, beijo, foto...
Não fui. Claro! Mas sentei na cadeira do dentista sem medo, sem anestesia, sem nada. Só com a cara, a coragem e a lembrança de você. E minha boca escancarada era mais que um "á", era um "é" desses que a gente faz quando sorri. Sorriso de Elma Chips.
O que nunca ficou entendido por você é que eu não sou do tipo de pessoa que pendura lençóis no varal ou nos parapeitos das janelas pra que sequem, mas isso não quer dizer que eu não os tenha, eu apenas os seco à sombra, dentro de casa. Quietinhos na discrição da minha área de serviço junto com minhas calcinhas e outras coisas íntimas e particulares.
Já você é diferente; Você faz cabaninha com os seus lençóis, pula de prédios altos usando colchas de cama como paraquedas, se enrola toda dos pés a cabeça como uma panqueca humana e acaba que a gente só vê o lençol... E nada de você.
E quem olhar mais atentamente percebe que ainda assim, você passa frio.
Não se auto afirme tanto com tantos corações espalhados por agendas, porta-retratos, ímãs de geladeiras, camisetas e almofadas. Pra quê cartaz se não tem espetáculo? Mas enfim, o teatro é seu.
Odeio soar agressiva quando não é minha intenção, apenas não perdi minha paixão por metáforas assim como você não perdeu a sua por aqueles pombos.
Me mantenha informada sobre os seus sonhos, ok?


Beijo no queixo.



Dereza


------------------------------------------------------------------