Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
-Sabia que amor é ilegal? Se a polícia te parar na rua e tu tiver com o riso frouxo e cara de bobo te batem e te prendem. Doideira né?
-A vizinha do meu primo sentiu cheiro de amor vindo do apartamento dele e ligou pro 190. Subiram as escadas do prédio enfurecidos, todos já com fuzis nas mãos.
-Mas parece que tem um artigo na lei que só considera tráfico a partir de uma grande quantidade, afinal, temos o direito de carregar uma porcentagem de amor pra consumo próprio, né?
-Eu diria que temos o dever de fazer isso.
-Isso! E ser usuário é diferente de ser dependente.
-Aliás, dependente de amor é foda.
-Esse é o típico esteriótipo. Aquele sujeito magrelo, olheiras fundas de quem já tá afundado, sem controle.
-Esse é o que rouba, que mata que se prostitui pra sustentar o vício.
- Que mora na rua...
-Esses são os mais fudidos. Quando não morrem de overdose, morrem de Game over.





Juan Barto