Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Ontem vinhamos eu e a lua andando lado a lado em silêncio pela rua.
Eu com a cabeça no mundo dela, ela careca de saber como é o meu.
Já reparei que sinto mais saudades de você às sextas, assim como sentia mais ciúmes aos sábados.
Eu acho que passei perfume demais e preciso de alguém pra me esfregar e diluir.
Eu sei que sonhar massageia o cérebro, mas meus olhos já estão roucos de tanto te chamar e você não escuta.
Enquanto você dorme, eu escrevo em letra de forma seu nome, pra ver se te acordo.
Meu medo é que tanto sono assim seja seu jeito de me dizer "acorde".
Meu castelo de cartas de tarô falô que parô, você já mofô e é hora do coração, qualquer um dos dois, o vermelho ou o preto, tomar a iniciativa, mas eu já falei que chamei a dama de ouros pra sair e ela disse "Q?"
Sou rei, oK? Não desistirei nem a paus.



//Juan Barto //