Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Foto: Juan Barto




________________________________________________________

SUICÍDIO Cntrl Z

Ah, quem me dera uma pistola que saísse bandeirinha escrito 'PÁ!' pra eu me matar.
Atiraria na cabeça pelo menos todo dia sem pensar nem exitar.
Sem sujar minha camisa, sem sujar minha mobília, sem sujar o nome da família, sem sujar as paredes e o tapete do apê.
Suicídio tarja preta, suicídio controlado, suicídio Cntrl + Z.
Quem é que não ia querer?




Juan Barto

PEN (SAMENTOS) DRIVE (ME CRAZY)

Pensamentos, se desse para penteá-los ou pelo menos prendê-los em um coque pra que parem de cair nos nossos olhos...
Os meus, são como um cachorro que vira e mexe se encontra perdido, mas sempre sabe o caminho de volta pelo cheiro.
Só quem sabe o que se passa de verdade na nossa cabeça são os nossos cabelos, e é por essa razão que eles são mudos.
Cafunés não podem roubá-los, no máximo seduzi-los, que é uma forma de roubar dando algo em troca.



Juan Barto




O boneco de papel pardo, com seu caráter mal cortado e sua cabeça cheia de arestas deixou a cidade cenográfica fazendo papelão.
Essa história tem gravuras. Foi grave mesmo.
Te desejo água, muita água papel de pão, pra ver se você se recicla e vira algo que preste.
Reencarne em rolo, limpar a merda alheia vai lhe fazer bem.Vai te dar a humildade que você desconhece.
Eu sou que nem ampulheta, meu negócio não é com ponteiros e sim com o prazer do prazo.
Mas quem tem inimigo é o Batman, eu não tenho tempo pra essas coisas.
Tenho tempo para amarrar os cadarços do meu tênis com hashis, mas pra isso não.
Mas tenha calma, tem o carma.




Juan Barto