Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIAS.
-Onde diabos você estava?
-Aonde eu não devia. E como não devia, podia andar sossegado sem medo de cobranças.
-Te digo que cansei. Cansei do gosto de saco plástico na boca do estômago amordaçando meus gritos dados fora do horário comercial, pra não acordar os vizinhos.
Angústia é que nem dor de dente, só deixa pra doer de noite. O que fazer?
-Olha....
-Escuta!
-Diga.
-Vira ano, entra outro e sai mais um e a única coisa que muda de concreto na minha vida são as costas das minhas mãos, que estão virando papel machê. Meus sonhos já viraram cola de isopor faz tempo! Meu vocabulário é como uma calça jeans que não serve mais, não combina com nada, nem com camisa preta! E quando dizem: "Bom, combina com você!" só faz eu me sentir pior! Eu não quero combinar comigo!
-Trouxe pra você um casaco de pele ecologicamente correto: abraço.
-Eu... eu não sei o que dizer...
-Era tudo o que eu queria ouvir.
Se beijaram, massageando suavemente a bochecha de um com o nariz do outro.



Juan Barto