Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Esse sono fora de hora me fez crescer todo torto, que nem um cabelo cortado ao mesmo tempo por várias mãos diferentes, ficando com vários tamanhos e propósitos distintos.
Desigual como a vida.
Minha cabeça de retalhos-de-detalhes e meus pensamentos cosidos com linha de raciocínio, cozidos com cebola e salsa.
Lavagem cerebral à seco.
Eu cresci e cresço mesmo sem me caber, como um dente ciso, mesmo sem me notarem, como uma boa ação.
Como uma raiz que incha, empurra até descolar o azulejo do cimento.
Coração deposto do cargo, os olhos é quem estão no volante agora.
Eu sou uma travessura, eu sou uma travessia.




...........Juan Barto...........