Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Seus olhos não conseguem ver além da sua cabeça.
Seu desinteresse foi tão gritante que acordou o meu orgulho.
Mirei, errei, que horror! Mau-humorei, mas já morei no morro e não morri.
Sem pressa, se é pra sempre.
Fazer uma mesa redonda com as vozes da minha cabeça.



Juan Barto