Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Felicidade é uma palavra com gosto de hortelã, mas que cheira à jasmim.
Escorrega pelo cano da garganta adormecendo os músculos e formigando o nariz.
Acordaste meu lado consumista de afeto e agora estou a esmurrar o balcão da loja aflito.
"Eu quero isso! Eu quero isso! Eu quero isso!"
Eu piso forte, falo grosso, respiro fundo e penso alto.
Eu é todo exacerbado.

E ela? Uma graça!
Sorri pra passar o tempo, e ele passa!




Juan Barto