Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Rolha de cortiça boiando vagarosa no riacho improvisado de vinho derramado, como se fosse uma espécie de Vitória-Régia sintética. 
Cortinas de estopa estampadas, minha ordem judicial mantendo o sol a certa distância de mim.
Essa fome me comendo em todas as posições do livro de receitas.
Me engravidando ao contrário.




Juan Barto




---------------------------------------------------------------------