Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.

F(eb)RE(ob)SCURA

Já fui o "outro’ dos outros e não quero mais isso pra minha vida. 
É aceitar entrar numa guerra não na expectativa da vitória, mas só pela satisfação de pegar em uma arma incrível.
Não aceito mais, e isso não é uma questão de se permitir e sim de se permutar.

-------------------------------------------------------------

Fulano fala quatro idiomas fluentemente, mas não diz nada interessante em nenhum deles.
Gente que de tão zen vira ‘nem’.
Vivo sem
e passo bem...
Os grandes desafios da sua existência consistem em não se tornar invejoso com aquilo que não é seu, não se tornar mesquinho com aquilo que é seu e saber que efemeridade dá e passa.

------------------------------------------------------------

-Anos pares tendem a ser caóticos, assim como todo par. 

-Você vai querer o seu presente com ou sem batom?


----------------------------------------------------------------



Juan Barto
O sabor da vitória dura o tempo exato de um flash de fotografia. O da derrota dura os anos que uma fotografia durar.
Quanto mais do mínimo você tiver, menos do máximo você terá.
Permaneço no ‘mereço!’ pois quem tem apreço não vê preço. O sucesso cega ou sossega.

---------------------------------------------------------------------------

Começou a sentir uma moleza e antes que caísse duro, caiu em si.
Percebeu que não estava percebendo, estava apenas reparando no que não sabia e confortável no ‘não quero saber’.
Tomou uma decisão: Mimo agora, só como moeda de troca.
Queria que existisse uma maneira de mandar sentimentos por blue tooth.




Juan Barto