Funcionário do mês

[ CRÔNICAS, CONTOS, POESIA CONCRETA ] [ ILUSTRAÇÕES ] [ FOTOGRAFIAS ] [ VÍDEOS ]
'Queria', 'Podia', 'Faria', 'Deveria'...
'ia',' ia', 'ia' e tanto ia que não foi.
É tanto 'ia' que ficou pra outro dia.
Palavras 'boneca-russa', palavras 'boneco voo-do'.
Palavra cuspida, escupida, és 'cupida', és culpada, és 'túpida', és tapada.
A palavra é o meu moleque-de-recados, minhas luvas de amianto, meu time do coração.
Meu tímido coração.
Saudade é a minhoca que vive na maçã dos olhos.
'Não se mexe!'
Rancor é semente que vem junto na merda do passarinho que mirou na nossa cabeça, como 'agradecimento' por o termos soltado da gaiola, e que quando atinge o solo do sentimento que é de terra roxa cresce e não dá nada que preste.
O mal independe que chova.


Juan Barto