Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Você sabe por que é que paz é algo impossível de se desejar?
Porque é infantil e infantil só é uma gracinha nas crianças, passou dos onze anos vira babaquice.
E é babaca porque não depende nenhum centímetro, nenhuma mísera grama do desejo, da ação, da intenção ou da atenção de quem quer ter paz....
Sabe aquela historinha de que 'No trânsito você tem que dirigir por você e pelos outros!'?
É a mesma coisa!
Você pode ser um sujeito tranquilo, educado, solidário, 'humano', gente fina, bom filho, bom marido, sensato, fiel, leal...  Nada disso é garantia de paz.
Você deixa o cara te ofender aos berros e perdigotos pra evitar uma discussão...pra ter 'paz', mas ainda assim isso não é o suficiente pra ele que não satisfeito, vai lá e fala mal de você fora do ringue.
Arrasta essa situação por mais alguns dias e mais alguns quarteirões da cidade.
Ele quer ganhar e mostrar pra todo mundo que ganhou
Porque hoje em dia humilhar é ganhar.
Você entrega o celular , a carteira, a bunda pro assaltante simplesmente ir embora do jeito que ele chegou, assim 'do nada!', sem te agredir, mas ele acha pouco e te dá uma facada.
Porque você, classe média maldita é o responsável por ele ser pobre fodido e fedido...
Você 'classe mídia é o responsável por ele saber o que é um play station, mas não saber o que 'play station' significa!
Você classe 'mérdia' é o responsável pelo alcoolismo dos pais dele, enquanto o responsável pelo alcoolismo dos seus é a televisão, tentações demoníacas, predisposição genética esses inimigos abstratos.
'Frescura de gente rica!'
Ele tá puto e o responsável disso é você
Se ele está na merda é porque alguém está numa boa e esse alguém é você.
Você tomou a vaga dele.

Ele não quer mais só o seu dinheiro, ele quer arranhar a sua 'paz' com um prego.

E tem gente que acha que ele está coberto de razão.
De sujeira e de razão
E discutir sobre isso já seria uma forma de 'não paz'.
Você faz o favor de fazer favores, mas ai o que era uma gentileza vira uma obrigação e se você tentar cortar esse cordão umbilical você é um escroto nojento que só pensa em si mesmo.
'Se é pra fazer só 99% é melhor não fazer nada!'
Pa(z)ciência...
Você viaja pra deixar os problemas adormecidos na criogenia, suspensos no suspense do afastamento de alguns dias, até você voltar com a cura, mas eis que as chateações tem os seus contatos e o seu 'foursquare' tava ligado sem que você nem soubesse.
Dai é preocupação te ligando dizendo que tá numa pior, carente querendo atenção, querendo um 'ombro amigo' que é o paliativo homeopático do 'vou dar um jeito'
E acabo dando mesmo . . .
Já que eu não consigo ter paz eu tenho ódio!




Juan Barreto


O problema das pessoas é que se elas gostam de Beatles elas acham que tudo é Beatles.
O problema das pessoas é que elas achavam que os Beatles seriam pra sempre.
E ainda acham.
Hoje em dia, ninguém vai a um show do Paul MacCartney, as pessoas vão ao show daquele cara que era dos Beatles.
O problema das pessoas é que elas são vaidosamente competitivas, até quando é sobre algo de natureza depressiva e melancólica. Cada um acha que ELE é o mais depressivo e a mais melancólico do mundo inteiro.
"Muito mais do que você! Iiiih, Muito mais"
O problema das pessoas é que elas acham que sabem tudo o que as outras pessoas deveriam saber sobre tudo.
O problema das pessoas é o acumulo dessas algas marinhas, desses ‘algos’ celestes, desses egos terrenos.
Terrores terráqueos.
O problema das pessoas é que elas não conseguem desprezar o que é desprezível, e depois ficam resmungando.
O problema das pessoas é que elas querem que você dê nome as suas ereções anônimas e peça desculpas.
O problema das pessoas é que elas me ama(rra)m!


Juan Barto

ÁLCOOL E FLÚOR

Diga me com quem andas que eu te direi quem ass.

------------------------------------------------

Riste para o dedo em riste....
'Se fo(r) Deu(s)! (?)'

----------------------------------------

O dia estava sépia e a noite não tinha CEP, ia caindo primeiro onde fosse mais morno.
A via-láctea estava doente.
Virose. Estava virando iogurte!

-------------------------------------------

Adiando, odiando...
Macho alfa(ce), o rei dos vikings vegans.
O mundo urra!

----------------

Nós somos letrinhas numa sopa quente.
Servidas em tigelinhas onde os deuses nos bebem lentamente.

------------------

(AB+sinto)
[O+i!!!!
 O-i . . .]
AB-straio

------------------

Sangue do meu sangue, sundae do meu sundae, sunday do meu sunday
Sonhos editados e sonorizados.
(A)'Gravando!'




Juan Barto



Sua cidadezinha estava estrangulando-o. Claustrofobia a céu aberto.
Cansou de respirar aquela poeira barrenta vinda de nuvenzinhas cor de tijolo que se levantavam toda vez que passava uma carroça ou bicicleta pelas ruas de terra vermelha e depois abaixavam assentando lentamente como se fosse um cão velho erguendo a cabeça pra ver quem passa e depois voltando a repousá-la no chão mansamente retornando a sua aposentadoria fisiológica.
Washington sonhava mesmo era em inalar fumaça grossa dos carros de gente fina que ele via na novela.
Sair da jungle e ir pra jugular desse país tórrido e torrado.
A grande 'Cidade grande', de carros verdes fazendo fumaça preta.
Sinal de fumaça urbano dessa tribo é a fuligem que sobe aos céus, aos célsius, pra esfregar na cara de Deus os resultados das pesquisas de IBOPE, mostrando que as coisas  não vão bem para os bons.
Cidade de pocinhas de gasolina derramadas nos asfalto. Mini arco-íris derretidos.
Pneus trocando de couro mais do que cobra.
Pneus fazendo limpeza de pele a cento e vinte quilômetros por hora pela estrada à fora.
Seu pai ex-coronel, sua mãe eterna coronária não concordavam, mas acordavam que aquário pequeno deixa o peixe instintivamente pequeno, pois se ele tentar ser grande não vai conseguir se mexer muito.
O medo é um monstro feio e fedorento feito de pus e cera de ouvido que infecciona, influencia e inferioriza as superfícies em que toca e o meio ambiente em que vive.
Washington foi vivendo tapando o sol com a peneira, filtrando seus raios solares, seu reles salário até o dia que não aguentou mais 'não aguentar'. Contrariando o contexto, queria contestar o contrato e resolveu seguir os rastros dos astros.
Todos os seus sonhos tinham colesterol, o que resultava em engordar os seus desejos e dar estrias nas suas vontades.
Tinha medo de quebrar a cara, mas por outro lado não dançar seria um desperdício incrível de pernas.
Pensou nisso e isso pesou nele.
Washington queria muito ser 'Ashton'. . .
E num belo dia se foi
Pra poder ser . . .
                                   

Juan Barreto