Funcionário do mês

CRÔNICAS, CONTOS E TEXTOS POÉTICOS, NÃO POESIA.
Se sentia um náufrago, arremessado nas areias das primeiras horas da manhã pelas ondas da madrugada.
Misturando a euforia dos sobreviventes, com o mau humor letárgico dos que ainda não perceberam, ou não querem aceitar, que precisam dormir pra passar de fase.

[5:30] [a:m]

Silêncio maravilhoso, tão gostoso que dava vontade de gravar pra poder vir escutando de fones no ônibus, voltando pra casa no final do dia.




Juan Barto